mostra três águas banner 1

mostra

três

águas

Os filmes de

Everlane Moraes

e Lara Sousa

a mostra
4 a 10 . maio . 2021 
Local da exibição dos filmes
Canal da Cinemateca do MAM Rio 
encontro
6 . maio . 2021 
Local do debate 
Youtube e Facebook do MAM Rio
​14h - Gratuito
 

mostra três águas

A Mostra Três Águas reúne a produção cinematográfica de mulheres negras de países de fala portuguesa e está organizada em três programas que acontecerão entre os meses de maio, agosto e novembro de 2021. 

 

No primeiro programa, Os Filmes de Everlane Moraes e Lara Sousa, que acontecerá entre os dias 04 e 10 no canal da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, veremos parte da cinematografia das duas realizadoras. Nascidas em países distintos, Brasil e Moçambique, respectivamente, Everlane e Lara se conheceram em Cuba, em 2015, na Escola de Cinema e Televisão, de San Antonio de los Baños, e criaram laços fortes ao longo destes anos.

 

Para Everlane a mostra é a vontade de que outros encontros entre mulheres negras aconteçam e que de aí possam produzir outros espaços seguros de diálogos, para o compartilhamento das diferentes experiências que perpassam suas vidas e o contexto de seus países. É um lugar de superação e proposição. E, como destaca Lara, esses filmes são retratos de nossos países, de nossos traumas e alegrias, são janelas para o mundo interior, que colocado em diálogo traça novos caminhos, novos mapas, baseadas no afeto e não mais na dor ou no trauma. 

 

A Mostra Três Águas integra a Campanha de Impacto do documentário O Navio e o Mar, dirigido e protagonizado por Everlane Moraes e Lara Sousa, e encontra-se em fase de desenvolvimento.

 

Para saber mais sobre o filme acesse aqui!

 

filmes . sessão 01 . EVERLANE MORAES

Pattaki de Everlane Moraes.png

Pattaki

Everlane Moraes / Cuba / 2018 / Documentário / 21'  

 

Sinopse As águas regem e nutrem a vida. À luz da lua cheia, a maré sobe, invade a cidade, inunda os seres que a habitam. Um filme-oferenda para Iemanjá.

 

Trailer

 

Ficha técnica

Direção: Everlane Moraes

Com: Rodolfo Ofarril, Amparo Molina, Mauria Herrera, Lazara Isis, Alexander Quiala 

Produção: Gregório Rodrigues

Roteiro: Everlane Moraes e Tatiana Monge

Fotografia: Flávio Rebouças

Som: Vitor Coroa

Montagem: Keily J. Estrada

Aurora de Everlane Moraes.png

Aurora

Everlane Moraes / Cuba / 2018 / Documentário/Híbrido / 15’

 

Sinopse No palco de um teatro destruído, Elizabeth, Mercedes e Crisalida, três mulheres negras de idades diferentes, revivem e reinterpretam suas histórias, conflitos e perdas, recorrendo a monólogos, boleros e memórias de dança.

 

Trailer

 

Ficha técnica

Direção: Everlane Moraes

Com: Elizabeth Fuentes, Mercedes Rodríguez e Crisálida Páez

Produção: Tatiana Monge

Fotografia: Pablo Ascanio

Som direto: Bianca Martins

Montagem: Elena Cedeña

Distribuição: Matheus Mello

La Santa Cena de Everlane Moraes.png

La Santa Cena

Everlane Moraes / Cuba / 2015 / Documentário / 13’31’’ 

 

Sinopse O cotidiano de uma família afro cubana e a relação entre o carnal e o espiritual no sacrifício do seu último galo para comer.

 

Trailer

 

Ficha técnica

Direção: Everlane Moraes

Com: Adairis Meralla,  Osmani Rodríguez, Lesyanis Hidalgo, Leovanis D' Rodríguez. 

Produção: Gregório Rodrigues

Fotografia: Flávio Rebouças

Som direto: Vitor Coroa

Montagem: Elena Cedeña

Caixa dagua de Everlane Moraes.png

Caixa d'água: qui-lombo é esse?

Everlane Moraes / Brasil / 2013 / Documentário / 15’

 

Sinopse Através dos depoimentos de antigos moradores e acervos fotográficos projetados em corpos negros e nas paredes da comunidade, o documentário Caixa D’água: qui-lombo é esse? Ressalta a importância histórica e cultural de um bairro remanescente de Quilombos.

Ficha técnica

Direção: Everlane Moraes

Com: Luisa Dandara e Gilson Marinho

Produção: Nadja Donato

Assist. Isaías Nascimento. 

Arte: Everlane Moraes e Yuri Cirulo

Fotografia: Moema Pascoini e Eduardo Freire

Som direto: Luiz Oliva

Montagem: Gabriela Caldas

 

filmes . sessão 02 . LARA SOUSA

Kalunga%20de%20Lara%20Sousa_edited.jpg

Kalunga

Lara Sousa / Cuba / 2018 / Documentário / 22’

 

Sinopse De um lugar distante de casa, Lara é levada por sonhos enigmáticos a um ritual de nascimento espiritual que a levará junto de sua tia morta de volta à África.

 

Trailer

 

Ficha técnica

Direção: Lara Sousa

Produção: Matheus Mello

Fotografia: Guillermo Argueta

Técnico de Som: María Alejandra Rojas Garavito

Montagem: Juliano Castro

Fim de Lara Sousa.png

Fim

Lara Sousa / Cuba / 2018 / Documentário /15’

 

Sinopse Lara - uma jovem cineasta - não se vê em nenhum lugar entre Cuba e Moçambique. Sobre uma varanda imaginada em direção ao Oceano Índico, Lara está procurando respostas para o longo silêncio de seu pai. Ela sente a solidão que precede a morte iminente de seu pai, Camilo de Sousa. Ela começa a traçar caminhos que a impedem desde o começo do fim. Memória, afetos, história e poesia se entrelaçam e ela repensa o presente a partir de lembranças que guarda do outrora.

 

Ficha técnica

Direção: Lara Sousa

Produção: Rafael Urban

Fotografia: Guillermo Argueta

Técnico de Som: Maria Alejandra Rojas

Montagem: Keily Jimenez

A quinta do medo de Lara Sousa.png

A quinta do medo

Lara Sousa / Cuba / 2017 / Documentário / 14’

 

Sinopse Alberto, um cubano de 53 anos, foi atirador durante dois anos da sua adolescência, numa guerra pela libertação de Angola. Hoje, na Sierra Maestra, conta como convive com o que hoje é uma guerra de memórias onde se misturam vida e morte, culpa e orgulho, memória e esquecimento.

 

Ficha técnica

Direção: Lara Sousa

Produção: Lara Sousa

Fotografia: Lara Sousa

Técnico de Som: Víctor Mendes/Everlane Moraes

Montagem: Lara Sousa

Machimbo de Lara Sousa 2.png

Machimbo - o homem novo

Lara Sousa / Cuba / 2016 / Documentário / 13’30’’

 

Sinopse Em uma barbearia em uma cidade de Cuba, corpos masculinos desfilam ao redor do sofá e interagem. Entre consertos de sobrancelha, discussões sobre os tipos de peeling ou o último jogo de futebol. Esses “machos” cubanos vão revelar a armadura que criaram para seguir a moda e referências estrangeiras, sem afetar certas noções de masculinidade tanto em termos de suas escolhas sexuais, como de sua apresentação e relacionamento social.

Ficha técnica

Ficha Técnica

Direção: Lara Sousa

Produção: Matheus Mello

Fotografia: Fernanda Velazquez

Técnico de Som: Bianca Martins

Montagem: Juliano Castro

 

sobre as diretoras

Dir_EverlaneMoraes.jpg

EVERLANE MORAES 

Brasileira, nasceu em Cachoeiras/BA. Especializou-se em Direção de Documentário na EICTV, em Cuba. Seu filme Caixa D’água: qui-lombo é esse? (2013) – “Prêmio Inventar com a Diferença” na Mostra de Direitos Humanos da América Latina (2014) e Melhor Curta e Menção Honrosa no CachoeiraDoc (2014) - reflete sobre a sua condição de mulher negra, quilombola, periférica, nordestina e brasileira. Everlane trabalha com as representações de comunidades afrodescendentes, buscando na história e tradições da diáspora a sua própria ancestralidade. O curta-metragem documentário Pattaki (2018) estreou em Rotterdam 2019; foi indicado a Melhor Curta pelo Grande Júri na Mostra de Tiradentes 2020, e exibido no Sundance Film Festival 2020. Everlane participou do COLAB - Colaboratório Criativo da Netflix e o seu projeto “O navio e o Mar'', co-direção com Lara Sousa, foi selecionado no William Greaves Fund 2020. 

Dir_LaraSousa.jpg

LARA SOUSA 

Moçambicana, nasceu em Maputo. Estudou Documentário em Cuba, tendo dirigido os curtas-metragens La Finca del Medo (2017), Kalunga (2018) - Prêmio Melhor Direção de Arte da Mostra Itinerante de Cinemas Negros (MIMB) 2018- , Fin (2018) - Prêmio Melhor Filme na MIMB 2019. Seus filmes tratam de um “não-lugar” entre Moçambique e outros países, combinando uma visão ensaística com uma estética autorreferencial. O projeto Kalunga foi selecionado para o Berlinale Talents/DocStation, tendo sido também selecionado para o Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo. Lara foi selecionada para o ColabNowNow - British Council Digital Arts Residence e seu projeto colaborativo com Everlane de Moraes, O Navio e O Mar, premiado no IDFA Bertha Fund Awards no Durban Film Market em 2020.

KEYNA ELEISON 

Curadora, escritora, pesquisadora, herdeira Griot e xamã, narradora, cantora, cronista ancestral. Mestre em História da Arte e especialista em História e Arquitetura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e bacharel em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Membra da Comissão do Patrimônio Africano para laureação da região do Cais do Valongo como Patrimônio da Humanidade (UNESCO). Curadora da 10ª Bienal Internacional SIART, na Bolívia. Atualmente, é cronista da “Contemporary &”, professora do Programa de Formação e Deformação na Escola de Artes Visuais Parque Lage, no Rio de Janeiro, e diretora artística do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio). Atua no desenvolvimento de exposições e significados de obras de arte e artistas, orientação de processos artísticos, curadoria de exposições, ensino de arte, tendo como precedente na coordenação em educação artística e narrativa o reforço à relação de passagem e captura de conhecimento oral.

RIANNA_régua de logos-01.png

Apoio Financeiro

mostra_3_aguas_reguas_210428-post_cor.pn